Estás a fazer tudo errado!

0 Partilhas

A maior habilidade que uma pessoa pode ter para desenvolver nesta época em que vivemos, sem dúvida, é a capacidade de nos relacionarmos bem com o nosso semelhante.

De certeza que já ouviste dizer que nenhum homem é uma ilha.

Não se trata de mais uma frase feita mas sim de uma regra básica para atingir o sucesso pessoal e profissional.

Não é necessário ser muito inteligente para concluir que quem consegue estabelecer relacionamentos saudáveis consigo mesmo e com os outros é mais bem-sucedido tanto a nível profissional como pessoal.

Por um lado, cada vez mais as empresas procuram colaboradores que sejam capazes de trabalhar em equipa e gerir conflitos, pelo que quem não possuir estas características acabará inevitavelmente por ser deixado para trás.

 

DE QUEM É A CULPA?

Tenho certeza que por muitas vezes já te sentiste sozinho. Que pensaste em desistir até mesmo das tuas relações mais próximas… Ou que pensaste em desistir da carreira dos teus sonhos por não saberes aproveitar as oportunidades ou por não saberes como conquistar as pessoas que estão à tua volta!

E, por mais que tentes te relacionar, o outro parece que nunca te entende ou parece que nunca te escuta.

Quando chegamos a este extremo, de quem é a culpa?  

 

Com o foco em ultrapassar esse desafio, e principalmente, em CONQUISTAR O QUE QUEREMOS, muitos de nós acabamos por desactivar os sentidos da empatia, caindo em erros graves, porém muito comuns, na convivência.

Tais erros podem sentenciar o futuro das tuas relações, seja no meio profissional ou pessoal. Quando começas a procurar a causa dos erros das tuas relações, começas a procurar os erros nos outros. O problema é sempre “Ele/Ela não sabe comunicar comigo”, “Ele/Ela não quer o melhor da relação”.

Com essa transferência da culpa, acabas por te esqueceres de um dos factores mais importantes. Acabas por te esqueceres de ti.

Esqueceres-te de ti é perderes a oportunidade de acertar. Quanto mais se conhece o próprio “EU”, menos se julga as outras pessoas, por se entender as própria falhas, por se reconhecer o Ser imperfeito que somos.

 

O AUTOCONHECIMENTO

Quanto mais nos conhecemos, mais conseguimos compreender quem somos e como somos, as nossas habilidades, os nossos talentos, os nossos medos e anseios.

Quando começamos a análise individual e nos permitimos conhecer a fundo quais são as nossas reais intenções, motivações e sentimentos, passamos, imediatamente, a ver também o nosso semelhante com outros olhos.

Aqui o Eneagrama se torna novamente presente, como o aliado número 1.

Apenas quando o indivíduo permite e estimula a prática do autoconhecimento e personalidade, é possível guiá-lo pela busca da estratégia da comunicação mais adequadas ao estabelecimento de relações mais pacíficas e proveitosas.

Lembra-te: Comunicar é, na sua essência, muito mais difícil do que parece. Comunicar com eficiência e assertividade parece ser, por vezes, uma missão quase impossível. Mas, estando na posição de comandante da tua personalidade, irás verificar que nenhuma palavra e nenhuma acção serão jogadas ao vento sem motivo e sem razão.

É exatamente este detalhe que irá salvar todos os teus relacionamentos e te atribuir a sensibilidade de entenderes e respeitares a posição do outro.

Estás preparado/a para ASSUMIR A CULPA e  revolucionar a tua rede de amigos, família e colegas de profissão através do autoconhecimento?

Eu estou sempre aqui, pronto para te ajudar neste processo de descoberta, partilhando conteúdos que surgirão como a luz ao fundo do túnel.

Fica atento/a!

Abraços e até já,

Eduardo Torgal.