3 Regras Básicas para Ter Relacionamentos mais Equilibrados

Hoje trago-te uma confissão sobre relações.

Um segredo que não tenho feito questão de guardar, mas que muitas vezes ainda surpreendem.

Muitos acreditam que por ser Coach e exercer um trabalho tão bem reconhecido, eu nunca tive fraquezas ou dificuldades em me relacionar com o outro.

Nada pode estar mais longe da realidade.

A comunicação não se fez na minha vida tão forte e tão consistente como hoje em dia. Muito pelo contrário. Eu posso até dizer que eu era um perfeito idiota na categoria de comunicação.

Há alguns anos atrás, eu vi a minha motivação, a minha energia, a minha paixão me escapar entre os dedos.

A razão? Eu sentia que o mundo estava contra mim.

Nesse momento eu pude perceber que não importava o quanto eu tentasse, as minhas conversas nunca eram produtivas e nunca resultavam em nada. Ou pelo menos com o significado que eu lhes procurava dar.

Como um jogo de corda: Enquanto eu fazia de tudo para atrair um bom relacionamento, a pessoa na outra ponta da corda, puxava para seu lado e fazia de tudo para que isso não fosse possível.

Essa corda contagiou a minha comunicação com as pessoas que eu mais amava e também as minhas relações profissionais.

Foi quando eu descobri que precisava de me relacionar de uma forma mais harmónica e equilibrada para resgatar o meu ânimo e a minha autoconfiança.

imagem 3 Regras Básicas para ter Relacionamentos mais Equilibrados

A questão era: COMO FAZER ISSO?

Depois de investir em anos de pesquisa, de me aprofundar nas diretrizes e crenças ancestrais, eu descobri um código que havia sido guardado por mais de 2000 anos.

Um código que me ajudou a mapear os caminhos das relações bem-sucedidas com clareza e objectividade.

E dentro desse caminho, que continuo a percorrer incansavelmente, eu desvendei as 3 Regras Básicas para ter relacionamentos mais promissores e equilibrados:

Regra 1: Compreender para ser compreendido:

Coração aberto e mente aberta. Esse é o segredo para quem quer ter conversas claras e objectivas.

É indispensável manteres as opções abertas e te sentires aberto para compreenderes a opinião e os sentimentos alheios. Afinal, eles são tão importantes quanto os teus. E se isso é uma necessidade na nossa vida pessoal é uma obrigatoriedade no mundo profissional se tiveres o Coaching como profissão.

Regra 2: Aceitar as diferenças.

Imaginas um processo de coaching a um perfeccionista e a um romântico?

Assim também o é mesmo nas tuas relações pessoais.

Imediatamente percebemos que as diferentes personalidades, exigem também diferentes abordagens.

O que é eficiente para um, não é para o outro.

E isso porque, nenhuma verdade é absoluta, e por isso devemos estar constantemente disponíveis a aceitar as diferenças, assim como aceitamos as semelhanças.

Regra 3: Transmitir VERDADE.

No que quer que faças, com quem quer que seja: transmite o teu melhor lado.

O lado que transmite confiança e verdade.

Apenas assim, farás com que o outro esteja à vontade para te entregar o mesmo a ti.

E isso gera relações de conforto e confiança. Esta última regra é a que traz legitimidade às anteriores.

Seguindo estas regras e aplicando-as regularmente no teu dia-a-dia, verás na prática como o equilíbrio de uma boa relação pode ser estabelecido de forma consistente.

Esta é a chave para aprofundares os teus relacionamentos pessoais e dares um salto na tua prática profissional, e encontrares dentro de ti, a força e determinação para demonstrares sempre a tua melhor versão.

 

Grande Abraço,
 

 

Eduardo Torgal.

 

SE GOSTOU, PARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on skype
Share on print