Qual é a diferença entre Coaching e Mentoring?

Olá coach. Hoje em dia, com o mundo em constante evolução e o mercado de trabalho cada vez mais díspar, começam a surgir novos conceitos profissionais no nosso quotidiano.

Neste contexto há duas profissões do panorama actual que podem deixar muitos intrigados. A de coaching e a de mentoring.

Para compreendermos estes conceitos devemos entender, primeiro, que ambas as profissões nascem da grande procura pela melhoria da vida.

Tanto na vida pessoal como profissional, as pessoas pretendem, cada vez mais, atingir a perfeição, conquistar um lugar de destaque e ter maior equilibrio.

Claro que, em primeiro lugar, isto gera uma maior procura por cursos profissionalizantes e de especialização.

Ainda assim, frequentemente estes não bastam para que a pessoa se sinta suficientemente realizada, satisfeita e em equilíbrio, existindo a necessidade de garantir que se consegue a ajuda junto de outras pessoas.

Felizmente, com o aparecimento de novas formas de trabalho e de novas profissões, surgem também profissionais como nós, Coaches, especializados nesta questão e orientados para ajudar estas pessoas a atingirem as suas metas pessoais e profissionais, ao dirigirem-se às necessidades específicas que pautam o seu discurso e a sua forma.

Encontramos, por isso, dois tipos distintos de profissionais, que, por uma questão de nomenclatura, frequentemente se confundem, deixando no ar questões sobre as diferenças que os separam.

 

De facto,  são muito distintas as profissões de coach e de mentor (apesar de terem pontos em comum, claro!). Exploremos, agora, as diferenças.

No fundo, podemos dizer que o coach é uma pessoa focada no desenvolvimento das características e capacidades de cada indivíduo. 

Este é, pois, um profissional devidamente credenciado, preparado para responder, através de sessões de tempo e frequência variada, às necessidades, objectivos, expectativas e metas de cada cliente, aproveitando o potencial individual e explorando-o para conquistar todos os desejos enunciados pelo cliente.

Este processo tem várias fases e passa, no fundo, pela atenção às necessidades e limitações de cada cliente, no sentido de o ajudar na programação e planeamento de uma fórmula de acção que o ajude a estipular e cumprir as metas e objectivos. Ou no caso da Eneacoaching, através do Coaching trasformacional, ajudar na transformação pessoal ou profissional do nosso cliente.

 

O Coaching tem duas variantes genéricas: a pessoal e a profissional. Naturalmente que aqui refiro-me apenas a abordagem genérica. Noutros artigos já abordei a importância de uma maior especialização.

 

Assim, o Coach irá, no fundo, promover uma evolução continuada do cliente rumo às suas expectativas, promovendo uma reeducação a vários níveis e ajudando, assim, a elevar os níveis de competência, profissionalismo, confiança e concretização.

 

Por outro lado, o Mentoring diz respeito a outro tipo de orientação.

 

Também orientado para o cumprimento de objectivos e concretizações, este tipo de actividade provém, por norma, de um profissional da mesma área da pessoa que procura ajuda e consiste no ensinamento de métodos para melhorar a experiência profissional ou pessoal do indivíduo, impulsionando o seu crescimento nessa área.

 

Este tipo de serviço não depende de um profissional especializado na orientação mas apenas de um superior que saiba guiar o seu funcionário dentro de uma empresa, ou numa outra actividade que o mesmo domine ou que tenha experiência, fazendo com que a sua competência seja elevada e a sua ascensão profissional ou pessoal possa ser mais célere.

 

Por norma, este mentor não estabelece qualquer relação emocional ou extraprofissional, sendo que o seu foco está, somente, nas questões relacionadas com a realização ou concretização de habilidades para o cumprimento da tarefa.

 

Assim, podemos dizer que embora Coach e Mentor visem o melhoramento humano, o primeiro tem uma abrangência muito superior, alcançando todos os aspectos da vida do indivíduo. Por outro lado, enquanto que o mentor deverá ter o conhecimento para acelerar a concretização do cliente, já no caso do coach a sua função é potencial toda a capacidade que o cliente já possui. Fazendo questões e permitindo aparecer todo o potencial do cliente.

Um Grande Abraço,

Eduardo Torgal

 

  • Fernanda Carvalho

    Obrigada por se lembrar de mim. Quando fiz a certificação foi abordada esta questão e muito bem explicada. Estou a desenvolver o Coaching motivacional, procurando melhorar o bem estar e, logo, a atuação pessoal e profissional das pessoas que me procuram. Como a certificação que fiz era mais direcionada para objetivos profissionais, penso que estes artigos e vídeos me serão muito úteis. Obrigada.