Parentalidade, Personalidade e Férias. Como usar as férias para crescer

Como usar as férias para crescer

Páscoa é sinónimo de uns dias de férias. Com ou sem motivo o facto é que pela Páscoa todos os que podem decidem tirar uns dias de férias. A Páscoa é também por isso um momento de família.

Estar de férias significa também ter a oportunidade maravilhosa de estarmos com quem mais amamos na Vida. Esses momentos trazem também a oportunidade de descobrir um pouco mais sobre nossos filhos como eles têm crescido no meio das nossas agendas tantas vezes preenchidas.

Mais tempo juntos em férias significa regra geral mais qualidade e como consequência novas descobertas sobre os nossos filhos, suas formas de ser, de pensar e sentir.

Mas o mais importante nesses encontros na minha forma de ver é descobrir mais como nós, enquanto pais, podemos crescer com essa observação.

Confuso? Eu explico.

A forma como eles interagem connosco explica ainda mais sobre nós. Como nós enquanto pais e como consequência, como nós enquanto líderes e seres humanos está registado na qualidade da nossa relação.

Fique mais perto dos seus filhos e fique atento aos riscos da sua personalidade e às oportunidades de tornar as suas férias num momento único e de grande crescimento pessoal para si.

Como receita para as suas férias deixo aqui alguns alertas consoante o seu perfil de personalidade segundo o mapa do Eneagrama.

Se ainda não sabe a sua personalidade segundo o Eneagrama visite o nosso site e faça o teste em menos de 3 minutos. www.eneacoaching.com/ teste-eneagrama/

Consoante seu resultado fica aqui as minhas sugestões:

Personalidade Tipo 1 –  O Perfeccionista

Riscos a ficar atento: Excesso de critica, rigidez e menor afectividade emocional condicionam a alegria da família.

Risco de fazer da criança um modelo de rigor e competência tiram sua espontaneidade. Demasiado sério pode cortar o prazer genuíno da criança.

Nestas férias pratique:

Procure minimizar o julgamento.

Seja mais flexível.

Pratique aceitação Pratique diversão e deixe que a desarrumação por momentos se instale.

Personalidade Tipo 2 – O Prestativo

Riscos a ficar atento: Esconder os seus sentimentos confunde a criança e leva-a a ignorar os seus próprios sentimentos. O impulso de os proteger em excesso não ajuda a construção saudável da personalidade.

Nestas férias pratique:

Entre mais em contacto com os seus sentimentos; mostra-se humano.

Apoie a independência dos seus filhos, dê apoio mas não resolva os seus desafios.

Fique atento/a ao que valoriza na sua relação com eles.

Vá para além do ajudar.

Personalidade Tipo 3 – O Bem Sucedido

Riscos a ficar atento: Fique atento/a à sua dificuldade de aceitar os resultados da criança (comparação notas escolares). Isso abala a sua auto-estima.

Não defina objetivos irrealistas para a criança. Aliás, não defina objectivos para as férias Nas férias permita que não façam nada, além de brincar.

Nestas férias pratique:

Fale sobre os teus sentimentos.

Respeite e aprecia as suas qualidades e individualidade para além dos resultados.

Desligue-se mais do trabalho para se ligar à família.

Fale também dos fracassos.

Personalidade Tipo 4 – O Romântico/Idealista

Riscos a ficar atento: A sua tendência a reparar no que falta pode criar instabilidade na família e a quebra de harmonia.

A sua oscilação emocional pode ser confusa para a criança e boicotar a sua alegria mais genuína. A tendência de comparar pode tirar o bem estar da criança.

Nestas férias pratique:

Pratique mais gratidão pelo que tem e partilhe isso com a família.

Preste ainda mais atenção se está sempre a evitar o básico.

Tire prazer do simples.

Nem sempre as crianças vão querer viver as suas idealizações. Deixe elas escolher o que fazer.

Personalidade Tipo 5 – O Analítico

Riscos a ficar atento: A dificuldade de expressar as suas emoções gera sentimento de afastamento com as crianças, que o sentem muitas vezes como ausência.

O sua tendência mais fria pode boicotar os momentos mais íntimos e felizes da família. As suas necessidades de isolamento podem fazer perder os momentos de família.

Nestas férias pratique:

Expresse mais as suas emoções.

Converse mais com a família sobre coisas banais.

Use mais o seu corpo.

Permita-se exceder os limites um vez por outra.

Personalidade Tipo 6 – O Precavido

Riscos a ficar atento: O excesso de proteção poderão dar mais trabalho pela altura da adolescência por isso doseie ou corrija a tempo.

A sua ansiedade pode prejudicar o equilíbrio da família. Relaxe. A dificuldade em confiar e a necessidade de testar pode ter impacto direto nas criança e nos seus receios.

Nestas férias pratique:

Avalie com regularidade o seu nível de ansiedade.

Confie mais e crie menos cenários negativos.

Aprenda a confiar mais nos teus filhos…

Sendo menos controlador/a.

Seja ainda mais emotivo/a.

Dê mais carinho.

Personalidade Tipo 7 – O Entusiasta

Riscos a evitar: O excesso de coisas em que se envolve podem fazer faltar tempo para a família. Viva ao ritmos da família e não encha a sua agenda apenas com os seus prazeres.

O relaxamento e excesso de visão positiva pode dificultar a definição de fronteiras para as crianças. Fique atento e doseie.

Nestas férias pratique:

Empenhe-se em escutar até ao fim.

Garanta que as crianças vão ao seu próprio ritmo. Controle mais as rotinas e os excessos de atividades.

Permita que a família tenha os seus momentos.

Personalidade Tipo 8 – O Confrontador

Riscos a evitar: Quando fica enfurecido/a pode parecer ameaçador sem que se apercebas. Não condene a expressividade das suas crianças e relaxe mais.

A falta de tolerância para o ritmo mais lento pode influenciar a sua dificuldade em aproveitar as férias. Tire férias do seu ritmo frenético. A sua energia intensa pode dificultar a expressão dos sentimentos das crianças.

Nestas férias pratique:

Empenhe-se em escutar mais e ser mais flexível.

Pratique controlar menos.

Aprenda a mostrar também a sua vulnerabilidade.

Aprenda a controlar mais a sua energia, dê espaço a que os outros avancem.

Personalidade Tipo 9 – O Pacificador

Riscos a evitar A não imposição e não participação ativa pode dar à criança uma sensação de indiferença.

O facto de parecer que as coisas não incomodam pode dar uma ideia de afastamento.

Avalie se está a ser demasiado permissivo/a em relação às crianças e aos seus limites.

Nestas férias pratique:

Partilhe com determinação as tuas opiniões.

Aprenda a dizer mais vezes Não.

Esteja mais presente e faça com que a sua opinião conte.

Escolha ser você a estabelecer fronteiras para as crianças quando necessário.

Grande Abraço

Eduardo Torgal.

1 comentário


  1. Texto muito oportuno. Olhar para os filhos é olharmos para nós e olharmos por nós, é olharmos por eles. Grata

Comentários encerrados.