O que difere uma crença limitadora do senso crítico interno?

As crenças que cada um de nós tem influenciam a nossa caminhada rumo ao nosso objetivo.

Mas como sei distinguir crenças limitadoras de sentido crítico interno?(

Como coach, de certeza que já conheces o ciclo da realidade. Sim, aquela ferramenta que te permite entender o que vês, para criares e que te faz ser, fazer e ter, num ciclo dinâmico. As crenças, quer as limitadoras, quer as potenciadoras, vão determinar a forma como tu vês o teu mundo.

Já conheces a história dos amigos sapateiros que foram em busca de um novo mercado noutro lugar? Ao chegarem ao novo sítio, repararam que todos os habitantes estavam descalços. O que aconteceu?

O amigo 1 viu ali uma oportunidade de negócio: vou fornecer sapatos a toda esta gente!

O amigo 2 ficou desolado: bolas, eles andam descalços, não usam sapatos, não posso vender os meus aqui.

 

|Eu vejo, eu crio.

 

O amigo 1 vê um mundo de oportunidades. Vamos deixá-lo seguir o seu caminho, está orientado.

O amigo 2 vê um mundo onde não pode desenvolver o seu negócio. A sua crença que só quem usa sapatos é que compra sapatos limita-o e é com esses óculos que olha para a realidade que tem à sua frente. Essa é uma crença limitadora. Ela aparece regra geral disfarçada nas tuas sessões de Coaching.

Precisas estar atento e identifica-la para conseguires ajudar o teu coachee.

 

Crítico interno

Conheces também a história do Pinóquio? Ele tinha um amigo muito importante: o grilo falante, a voz da sua consciência. Era um grilo esperto e valorizava imenso o bem, o que deveria ser realmente feito. Esse é, provavelmente, o amigo do ombro do amigo número 1.

O amigo número 2 não tem um grilo falante, ele tem uma raposa matreira a seu lado, sempre condicionando as suas atitudes, com um senso crítico muito apurado.

Quando a crença limitadora lhe diz: só quem usa sapatos é que os compra, a raposa vai dizer: tu não consegues mesmo vender sapatos, sempre foi assim, não vale a pena te esforçares, vais gastar tempo e ninguém vai querer os teus sapatos.

 

Então o que diferencia a crença limitadora do crítico interno?

 

A crença não é mais do que os óculos com que observas a realidade que te circunda. Tens que aprender a driblar a forma como observas a realidade para poderes derrubá-la. Com o cliente, podes usar várias ferramentas, sendo uma delas a da generalização, que pode deitar ao chão as que não são demasiado profundas.

O crítico interno é a voz que não quer calar e está constantemente a sabotar a mudança. Mesmo depois de vencer a crença limitadora, o crítico interno, com o seu poderoso senso crítico, pode aparecer para te lembrar, muitas vezes de formas analíticas e racionais que não és capaz ou que aquele caminho tem muitas dificuldades e que não vais conseguir.

Tens que reconhecê-lo em ti ou no teu cliente, identificar a forma como ele aparece e que sentimentos ele traz consigo. Só assim poderás enfrentá-lo e usá-lo como alavanca para crescimento, quer para ti, quer para o teu coachee.

Preparei um vídeo fantástico sobre o “Quais o teus Vícios Naturais”, assim como material de apoio a este artigo.

Depois diz-me o que achaste aqui nos comentários.

Um grande Abraço

Eduardo Torgal